A Canção dos Kerbonautas : A Kavalgada das Valkírias Tomo 1 Ato 1

Prólogo

A evacuação da tripulação da Estação Münar foi um sucesso, mas não muito - Kolumbia II ainda estava no raio de ação da onda de choque quando o reator explodiu, desativando ou simplesmente destruindo boa parte dos sensores e instrumentos de navegação.

Mas foram os estilhaços a pior parte. Os motores não explodiram (ainda) com os diversos impactos, o que por si já era um bom sinal. Mas com os sensores inoperantes, o sistema de autodiagnóstico se desligou - algo muito mais preocupante que o seguido auto-desligamento do SAS devido à inoperância e/ou incoerência dos instrumentos.

Valentina manteve o prumo de Kolumbia no muque e no instinto até o fim da queima "mais ou menos programada" e os motores serem finalmente desligados. E foram mais uns bons minutos de tensão até perceberem que não, não haveria outra explosão.

Foi por muito pouco.

"Eu não preciso do SAS para voar, ele é um conforto e não uma necessidade" - pensou consigo mesma Valentina - "mas preciso de uma nave operacional e de instrumentos confiáveis. E eu não sei se tenho isso agora...". A vida de vinte e três Kerbals, entre socorristas e socorridos, estavam em jogo. E Valentina não enxergava a roleta.

"Como estarão Bill e Bob? Eles não receberam muito bem as últimas notícias..."

De fato...

William ainda estava consolando Robert, que chorava copiosamente por não ter conseguido estimar corretamente quanto tempo o reator ainda tinha - EU SOU UMA FRAAAAUDE!!!! - quando foi notificado que seu novo e invulnerável DAS (Diagnostic Assessment System) não havia sobrevivido ao evento. Foram necessários Grissom e metade da equipe de Operações para evitar que William demolisse a Engenharia com suas cabeçadas na viga mestra.

"Ele quase conseguiu seu prédio novo...", melancolicamente riu consigo mesma. "Pilotos estamos acostumados com a responsabilidade e o risco de morte dessa profissão. Sempre que decolamos uma aeronave, temos em nossas mãos as vidas de Kerbals tanto em vôo como em terra. Mas cientistas? Engenheiros? Eles não costumam estar preparados para lidar com fracasso resultando em morte. E são eles quem revivem e remoem em inquéritos, relatórios e comissões a perda de seus colegas e amigos. Por meses..."

"Espero que estejam bem...", pensou enquanto acionou o InterCom:

__ Gemwin, Val. Relatório de Danos.

__ Ainda em andamento, Komandante.

__ O que você pode me adiantar agora?

__ Só tivemos mesmo aquelas 3 brechas no casco, e nenhuma delas realmente séria. Continuam todas seladas, e não vejo motivos para não permanecerem assim. Os medidores sugerem que pelo menos um dos tanques de oxigênio está com um pequeno vazamento, sem risco para o Suporte à Vida - temos o suficiente para o retorno à Kerbin duas vezes mesmo com o vazamento. Felizmente, a Engenharia exagerou um pouco. Mas...

__ Mas?

__ Ma'am, os tanques de oxigênio ficam no interior da super-estrutura. Se eles foram atingidos, é possível (ou quase impossível que não) que os tanques de combustível também o foram. É certeza que perdemos um dos tanques pequenos de monopropelente, mas o medidor está estável - as válvulas de contenção atuaram perfeitamente, perdemos apenas e unicamente o monopropelente daquele tanque, nem uma unidade à mais!

"Preciso ecoar essa informação ao Bill. O DAS não me serviria de nada, se as válvulas deixassem muito monoprolente se esvair! De que me adiantaria uma nave diagnosticada mas ingovernável?" - pensou Valentina, enquanto replicava:

__ Já temos uma posição sobre como estão os tanques de combustível?

__ Humm... Bom...

__ Eu não vou gostar da resposta, vou?

__ Ma'am... Não há como determinar. Não temos nenhuma leitura sobre o estado dos tanques de combustível nem de seus dutos. É seguro assumir que as válvulas de contenção atuaram tão bem quanto às do monopropelente, se houve alguma ruptura. Também não estamos deixando um rastro de cristais de gelo pelo caminho, o que é excelente sinal: todo e qualquer vazamento de monopropelente e/ou combustível está contido. Mas...

__ Estou começando a pegar aversão à conjunções adversativas... Desembucha logo, Gemwin.

__ Como já informado previamente, não temos medidores operantes para o combustível e estamos operando manualmente todas as válvulas por precaução. A inércia da nave sugere que se houve alguma perda, ela não foi significativa. Mas...

"Preciso ecoar essa informação também. Foi Bob quem teve a idéia de usar a inércia da nave durante as manobras como forma de estimar a massa...". E então explodiu:

__ Pelo Santo Kerbol que nos Ilumina, mais um "mas" e eu te ejeto escotilha afora!!

__ Ma'am, sem as leituras de pressão nos diversos pontos de medição, não temos como saber onde estão os vazamentos caso existam. Ma'am, monopropelente e combustível não são uma mistura... Desejável... e é seguro assumir que temos algumas boas dezenas de unidades de monopropelente impregnando a super-estrutura - do contrário, teríamos observado cristais de gelo ao redor da nave durante a ruptura daquele tanque. Ma... Hummm... Contudo, a localização do tanque de monopropelente rompido não é a pior possível - dependendo da manobra que fazíamos quando houve a ruptura, esse monopropelente pode ter sido jogado para um local... "seguro" (se é possível usar esse termo na presente situação). Provavelmente teremos uma ignição durante a reentrada devido ao calor, mas seja lá o que for que explodir nesse momento, naquela posição e naquela fase do vôo, não fará muita falta.

__ Compreendo. Dê continuidade aos procedimentos e mantenha o canal aberto com KSC. Wernher, a equipe de P&D e toda a Engenharia estão de prontidão, e você tem prioridade absoluta nas comunicações.

__ Positivo e Operante. Desligo.

"Bom, cada escolha uma renúncia. Quando abrimos mão de EVA para abrir espaço para uma cabine de resgate maior, sabíamos que estávamos fazendo uma aposta arriscada. Essa, nós perdemos - sem EVA, teremos apenas os telescópios e aqueles tais satélites fotográficos para uma inspeção à distância. Precário, para dizer o mínimo...". Valentina ainda estava resmungando consigo mesma quando acionou novamente o InterCom.

__ Surlof, Val.

__ Surlof na escuta, Komandante.

__ Como estamos de eletricidade e comunicações?

__ Perdemos algumas baterias, mas foram isoladas sem problemas. A APU principal foi avariada, a secundária está aguentando bem e em 1 ou 2 horas a principal voltará à ativa como se fosse nova. Não perdemos nenhuma antena, apenas o Prato saiu um pouco lascado e chamuscado (não será um problema à essa distância de Kerbin). Perdemos alguns processadores da Comunicação, mas a redundância segurou as pontas. Trocarei os processadores de sinal danificados assim que a APU principal estiver operando, por precaução.

__ Alguma esperança para o SAS e para o DAS?

__ Nenhuma, Komandante. Perda total - em ambos. É inacreditável, Kurphy era um profeta! Deve haver uma ou duas chances em cada.. 3 milhões... disso acontecer. Eu diria que 5 franco-atiradores não conseguiriam acertar tão precisamente e exatamente todos os redundantes necessários para derrubar o SAS e muito menos o DAS! E, aparentemente, sofremos impacto penetrante de apenas 3 detritos...

__ RCS? RW?

__ RCS operacionais e sem reservas. Ouso dizer que foi o subsistema que menos sofreu danos, contra todas as estatísticas. Mas perdemos metade das nossas Reaction Control Wheels.

__ Continue com os procedimentos, mantenha o canal aberto com Kerbin dando prioridade absoluta para Gemwin e me informe sobre qualquer mudança no ato.

__ Ciente. Surlof desligando.

__ Paburry, Val.

__ Paburry aqui.

__ Como está a tripulação da Estação?

__ Pálidos de susto, mas é só.

__ Danos?

__ Tivemos uma brecha no casco aqui na cabine de resgate, mas isso foi prontamente resolvido. Os rapazes da Operações da Estação são magníficos, Ma'am, quando Gemwin entrou em contato para avisar do vazamento, este já não existia mais! Mas...

__ Gaaaaaaa... HumHum... Prossiga, Paburry...

__ As portas do compartimento de carga estão inoperantes, provavelmente vítimas do mesmo fragmento que transpassou o casco desta cabine. Não podemos abri-las no momento, de forma que estamos usando os dissipadores auxiliares de calor no seu limite. Mas o que realmente me preocupa é que sem poder abrir as portas, não há chances de acoplarmos à uma eventual nave de resgate nem de ejetarmos a cabine de resgate em caso de emergência...

__ Gemwin?

__ Está priorizando as tarefas, Ma'am. Ela disse que voltará aqui assim que puder, mas pelo olhar que me deu do painel de controle, eu diria que ela não tem muitas esperanças de resolver essa...

__ ....

__ Concordo sem reservas, Komandante. Solicito permanência com os socorridos até a reentrada, minha presença aqui deixa-os sensivelmente mais confiantes.

__ Você é um dos orgulhos deste Programa Espacial, Tenente. Concedido. Desligando.

Sem possibilidades de ejetar a cabine de resgate, eles estarão todos condenados caso seja necessário evacuar a nave. Paburry demonstrou coragem e dedicação além do dever decidindo permanecer com os socorridos enquanto não é necessária na cabine de comando, onde ao menos existe uma esperança.

"Se essa Kerbalette não se tornar Komandante em 5 anos, eu sou uma krimata pelada comedora de vermes do mar. Farei uma recomendação formal ao Komodoro tão logo chegue em Kasa. Por Kerbol que me Ilumina, o próximo vôo dela será como Capitã."

E então, ao começar o planejamento para as manobras de captura de Kerbin, lembrou-se do alerta de Gemwin sobre o monopropelente...

__ Surlof?

__ Komandante...

__ Abra um link privado no canal secundário para o Komando Aéreo de Kerbin e roteie com exclusividade para a cabine. Solicite audiência remota com o Komodoro.

"Como estarão Bill e Bob?"